Finlândia assume o Conselho Ártico e quer priorizar educação e o meio ambiente

País ocupa função de dois anos, após os Estados Unidos, num momento delicado de combate às mudanças climáticas

A Finlândia pretende colocar a educação e o meio ambiente como prioridades do Conselho Ártico, durante a sua liderança de dois anos. As ações finlandesas incluem o combate às mudanças climáticas e o estímulo ao compartilhamento de expertises em educação.

Divulgação/ESA

O Conselho Ártico é formado pelos cinco países nórdicos, mais Estados Unidos (os últimos líderes do Conselho), Canadá e Rússia. No último mês, eles assinaram uma declaração para promover uma co-operação internacional em pesquisas científicas. Com o governo Trump planejando cortar despesas no combate às mudanças climáticas e nos programas de proteção ambiental, a Finlândia ocupa o posto num momento delicado para os trabalhos e objetivos do Conselho.

A Finlândia, por sua vez, pretende focar justamente na proteção ambiental, na conectividade, meteorologia e educação, com o Acordo de Paris no centro de tudo.

Você sabia que a Coppe UFRJ está inaugurando uma nova  Pós-Graduação em Energias?

A Coppe UFRJ está lançando o MBEN, uma MBA lato sensu que abrange todas as fontes energéticas, do petróleo às renováveis, para profissionais que desejam se especializar no futuro da Energia global. Cadastre seu email abaixo e receba mais informações sobre a primeira turma em breve.


MBE-COPPE/UFRJ formando especialistas ambientais desde 1998 - mbcursos.coppe.ufrj.br

Comentários