Energia Solar: expectativa de forma mais barata de produzir eletricidade

Investimentos facilitaram novo cenário; até 2018, a previsão é de que até 90 mil empregos sejam gerados no setor

A energia solar deve ser a forma mais barata de produzir eletricidade, até 2020. Isso porque os investimentos nessa área quadruplicaram nos últimos anos, apesar de ainda não haver tantos incentivos e políticas públicas mais receptivas. Atualmente, o Brasil conta com 3.981 conexões de energia solar, além de 110 projetos de usinas fotovoltaicas em construção. As informações são do site “Envolverde”.

Ainda há a expectativa de que o preço tenha uma redução de 60%, até 2040. Dentre as vantagens do sistema estão a facilidade de instalação, ser uma energia renovável e em grande quantidade, bem como as facilidades de se prever os custos. Dados do Ministério de Minas e Energia indicam que a energia solar representava 0,01% da matriz elétrica do país, a eólica 3,5% e de gás natural, 12,9%. A ideia é que a energia solar alcance a marca de 8.300 MW de capacidade instalada, até 2024.

De acordo com a Agência Internacional de Energias Renováveis, a energia fotovoltaica também estimula novos empregos no mercado. No total, 8,1 milhões de pessoas estão inseridas na indústria global de energia renovável e 2,8 milhões, no setor de energia solar. A previsão é de que sejam criados até 90 mil empregos, até 2018.

Para saber mais sobre esse e outros temas ambientais, inscreva-se no MBE, a mais reconhecida Pós-Graduação em Meio Ambiente do Brasil, e torne-se um especialista, com certificado de especialista concedido pela Coppe/UFRJ. Nosso módulo de energias renováveis foi ampliado recentemente e você terá a oportunidade de aprender e debater esse e outros assuntos.

Faça parte da 39ª turma: http://www.meioambiente.coppe.ufrj.br/a-pos-graduacao/


MBE-COPPE/UFRJ formando especialistas ambientais desde 1998 - mbcursos.coppe.ufrj.br

Comentários